Portugal

José Carlos Santiago

Curador e Facilitador

www.jcsantiago.info
www.jcsantiago.net
www.jcsantiago.com

Abordagens para a sua Saúde e Bem Estar

Desmemorização Celular

A desmemorização celular consiste em libertar as memórias instaladas nos tecidos e órgãos do corpo por forma a que eles possam voltar de novo ao seu funcionamento normal.

A razão de muitos problemas de saúde devem-se à memorização que o corpo faz dos problemas que lhe aconteceram ao longo da vida.

Hoje sabe-se que toda e cada célula regista e grava tudo aquilo que ela passou ao longo da sua vida. Esses registos ou memórias determinam a sua actuação e funcionamento e esta é uma das razões dos poucos resultados ou da falta de resultados em muitos problemas de saúde.

São bem conhecidos os problemas de coluna, os problemas musculares, escolioses, etc., etc. que depois de bem tratados teimam em aparecer passados alguns meses ou passados vários anos.

Talvez o exemplo mais flagrante seja aquele "relógio", que quase todos nós temos, que nos informa (com dor) quando vai mudar o tempo. 

Esse "relógio" que teima em nos avisar quando vai mudar o tempo, não é mais do que um traumatismo que tivemos no passado que é reactivado aquando das mudanças de pressão atmosféricas.

Esse traumatismo ficou memorizado pelo corpo e acabou por ser o responsável pelo problema actual ou por vir a criar um problema no futuro.

O traumatismo provoca dor e para a evitar o corpo bloqueia toda a circulação e o movimento dessa zona.

Isto é um bom mecanismo de defesa e uma boa forma de evitar mais dores.

Também é uma forma do corpo poder recuperar mais depressa e eficazmente.

Até aqui não há nada de errado. Aliás, a dor costuma ser tanta que o corpo está mais preocupado em a evitar do que em fazer a recuperação.

O problema é que uma vez feita a recuperação, o corpo não liberta totalmente a zona ficando sempre uma rigidez residual.

Isto cria nos tecidos um estado de tensão permanente para que se possa evitar a dor ou evitar a possível dor.

Esta tensão nos tecidos para evitar a dor, faz com que o corpo crie uma rigidez que pode ser maior ou menor consoante a situação.

Esta rigidez acaba por prejudicar a recuperação e é a responsável pelas fibroses, espasticidades musculares, etc.

Esta rigidez e tensão a manterem-se durante anos, acabam por criar outros problemas nessa zona e assim acaba-se por ficar com um relógio que nos informa de quando vai mudar o tempo.

A solução é como não podia deixar de ser a: desmemorização celular.

Isto não é mais do que libertar as tensões e emoções dos tecidos as quais acabam, caso não sejam eliminadas, por originarem problemas de saúde.

Desde há vários anos que existem técnicas de desmemorização celular mas infelizmente têm passado despercebidas pela maioria das pessoas e dos profissionais que lidam com estes problemas.

Só depois da eliminação destas tensões ou memórias é que se consegue que muitos tratamentos resultem e que se obtenham os seus resultados.

Da igual forma todas as nossas emoções são somatizadas a nível celular, acabando por afectar todo o funcionamento do nosso corpo e dos nossos órgãos.

Enquanto estas emoções, somatizações, traumatismos e outras situações não forem desmemorizadas do nosso corpo, dos nossos órgãos e do nosso corpo, é impossível conseguirem-se bons resultados em termos de saúde e em termos emocionais.

Estas memórias afectam-nos quer a nível físico quer a nível emocional, hormonal, etc.

De tudo isto se depreende a necessidade de desmemorizar o corpo, órgãos, tecidos, etc. por forma a que se alcance saúde e bem estar quer a nível físico quer a nível emocional, etc.

Isto explica a falta de resultados quer na medicina, quer na fisioterapia, quer nas ditas medicinas "alternativas".

Quando se compreende a importância da desmemorização dos tecidos, uma luz acende-se ao fundo do túnel permitindo que se consigam coisas que nunca se pensaram ser possíveis.

Agora torna-se possível fazer aquela recuperação que nunca se conseguiu com todos os técnicos e especialistas.