Portugal

José Carlos Santiago

Curador e Facilitador

www.jcsantiago.info
www.jcsantiago.net
www.jcsantiago.com

Abordagens para a sua Saúde e Bem Estar

Hiperactividade

e o

Corpo

São as alterações no corpo e no sistema sacro craniano que muitas das vezes criam alterações no funcionamento do sistema nervoso e que muitas vezes estão por detrás da dislexia, do autismo, da hiperactividade, das desordens de atenção, dos problemas de aprendizagem, da sinusite e de muitas outras situações.

Por exemplo, se o corpo estiver tenso, comprimido, ou com alterações a nível dos tecidos, isso cria disfunções a nível físico que acabam por se reflectir a nível do sistema sacro craniano o qual por sua vez altera por completo o funcionamento do sistema nervoso central.

Da mesma forma, essas tensões e compressões estão a ser enviadas ao sistema nervoso informando-o de que algo não está bem o que cria stress, irritação, mal estar e alterações a nível do sistema nervoso. Se o corpo não está bem o sistema nervoso acaba por não estar bem. Veja também a fáscia.

Sendo o corpo que mantém o sistema sacro craniano (ou craneo sacral) e se o corpo está tenso e comprimido, o sistema sacro craniano (ou craneo sacral) acaba por ficar alterado e com mau funcionamento.

E se o sistema sacro craniano (ou craneo sacral) não está bem, ele altera o funcionamento de todo o sistema nervoso central.

É o sistema sacro craniano que cria e mantém o ambiente fisiológico no qual todo o sistema nervoso, vive, funciona e se desenvolve.

Assim, qualquer alteração no corpo ou no sistema sacro craniano acaba por se reflectir negativamente a nível do sistema nervoso central.

E como se sabe são alterações no sistema nervoso central que estão na origem da dislexia, hiperactividade, desordens de atenção e défice de atenção, problemas de aprendizagem, autismo, depressão, etc.

A fáscia ou tecido conectivo é um tecido forte que se espalha por todo o corpo, numa teia tridimensional desde a cabeça aos pés sem interrupção, envolvendo todo e qualquer tecido do corpo desde a célula, grupo de músculos, ossos, órgãos, etc.

A fáscia envolve nervos, ossos, artérias, veias e ductos assim como os músculos e é o maior organizador do corpo, organizando e separando toda e qualquer estrutura do corpo e organizando os músculos e os órgãos em unidades funcionais.

A fáscia é o componente básico do corpo e em circunstâncias normais ela deve ser flexível e deslizante. No entanto através de traumatismos, processos inflamatórios, más posturas, cirurgias, stress, etc., criam-se restrições e aderências na fáscia e entre esta e os tecidos vizinhos o que faz com que ela se torne mais sólida e dessa forma encurte as fibras fasciais o que cria pressão em áreas sensíveis, provocando dor e restrições de movimento. Esta é também a razão do mau funcionamento de órgãos, músculos e do corpo em geral.

A importância da Libertação Mio Fascial (e outras terapias) torna-se bem patente quando compreendemos que a fáscia envolve e penetra em cada músculo, osso, órgão, indo até ao nível celular e que ela pode criar uma força ou pressão de cerca de 140 kgs por centímetro quadrado quando tensa, o que pode provocar fortes dores e limitações de movimentos ou mesmo mau funcionamento de órgãos, nervos, vasos, etc.

A pressão (que pode ir até 140 kg por centímetro quadrado) sobre zonas do corpo ou sobre o sistema sacro craniano, explica os desconfortos, as dores, e as alterações a nível do sistema sacro craniano e a nível do sistema nervoso  central.

Isto explica a alteração da posição anatómica dos ossos da cabeça, das vértebras, da bacia etc. e explica os desconfortos sentidos pelas crianças ou adultos que são incapazes de estarem quietos ou de terem capacidade para se concentrarem, ou mesmo a reacção excessiva em termos emocionais às situações do dia a dia.

A irritação, a agressividade, o não estar quieto, a depressão, o desinteresse, os choros por tudo e por nada, as birras, o chuchar no dedo até tarde e muitas outras condições, geralmente são boas indicações de que existem alterações ou disfunções a nível do corpo ou do sistema sacro craniano que precisam de ser corrigidas.

A falha em reconhecer a importância da fáscia e o seu relacionamento com toda a estrutura e movimento do corpo, ajuda a explicar o porquê dos maus resultados ou dos resultados temporários que se obtêm com os tratamentos standard.

Este é um sistema fisiológico que tem sido ignorado e que tem de ser estudado e compreendido se queremos o bem estar dos nossos pacientes.

É comum os pacientes (bebés, crianças e adultos) que estão sobrecarregados com crónicas ou fortes compressões miofasciais terem grande agitação mental, irritação, depressão, desgaste, cansaço, incómodos, insónias e outros pensamentos e emoções desagradáveis.

Isto cria problemas não só para o bebé, a criança ou pessoa que tem problemas destes, mas para todas as crianças e pessoas que têm de interagir com ela.

Muito deste sofrimento pode ser aliviado ou resolvido corrigindo as disfunções existentes no corpo e no sistema sacro craniano.

É assim que muitos destes problemas como a dislexia, autismo, hiperactividade, desordens de atenção, défice de atenção, irritação, agressividade, depressão, problemas de aprendizagem, etc. podem ser grandemente melhorados corrigindo as disfunções do sistema sacro craniano e do corpo. E as melhores terapias que conheço para isso são a  Libertação Mio Fascial e eventualmente a Terapia Sacro Craniana (ou Terapia Craneo Sacral) na falta desta. (Existem outras que quando achar conveniente revelarei).

O mesmo é válido para os bebés e recém nascidos onde muitos dos seus problemas como cólicas, choro sem causa, mau dormir, etc. se devem a disfunções do corpo ou do sistema sacro craniano que passam despercebidos dos profissionais de saúde uma vez essas disfunções não acusam nos exames que actualmente existem nem eles têm formação para as detectar e corrigir.

Desta forma, é conveniente que todos os bebés sejam sujeitos a uma detecção e correcção de possíveis disfunções do seu corpo ou do sistema sacro craniano. O parto é uma das possíveis causas da criação de disfunções no corpo ou no sistema sacro craniano do recém nascido pois é sempre um acontecimento "traumático" pois todo o seu corpo foi comprimido e ajudado a nascer.

Se o parto foi difícil ou traumático então mais probabilidades há de existirem disfunções no corpo e no sistema sacro craniano do recém nascido, as quais devem ser corrigidas quanto antes, para evitar possíveis problemas no futuro.

Não nos podemos esquecer que as células registam e memorizam tudo o que lhes acontece, quer a nível físico quer a nível emocional, e que é devido a essa memorização que as alterações e disfunções existem quer no corpo quer no sistema sacro craniano.

Há que corrigir as disfunções existentes no corpo e no sistema sacro craniano se queremos eliminar ou atenuar substancialmente quer a hiperactividade, quer a dislexia, quer muitos outros problemas que frequentemente se dizem sem solução.

As abordagens existem e só precisam de ser aplicadas.